desenredo, subst.
masculino -
ação ou efeito de
desenredar (-se);

desenredamento;
desprender-se da rede;
separar-se do que
está enredado.

Site idealizado e mantido por JC Cavalcanti - melhor visualizado na resolução de 1024 x 768 pixels

Leia: Conhecendo a Zona Sul de São Paulo
Litoral paulista, visto de Marsillac
   LEIA:
Conhecendo a Zona Sul de São Paulo
ATENÇÃO!!
Para ouvir as músicas deste site,
acesse-o com o excelente Browser AURORA.

Baixe-o e instale em seu computador.
É super leve e facílimo de instalar.

Neste final de ano, desejamos a todos um Feliz Natal
                                       e muita PAZ e SAÚDE em 2017 !!!
Boletim Cultural e Ecológico
Ler/baixar arquivos PDF da série "BREVE REFLEXÃO SOBRE..."
Breve Reflexão Sobre a Felicidade Breve Reflexão Sobre a Solidão Breve Reflexão Sobre o Amor
Breve Reflexão Sobre a Paz Breve Reflexão Sobre a Espiritualidade Breve Reflexão Sobre a Política
Amigos, li o livro "O despertar da consciência mística", de Joel S. Goldsmith (curador espiritual norte-americano), 
livro esse esgotado há muitos anos, e fiz um resumo dos trechos que, a meu ver, 
descrevem bem seu conteúdo geral. Espero que apreciem.
O despertar da consciência mística - Joel Goldman
Trechos que sintetizam a mensagem do livro (Editora Pensamento – 1989)

Pág. 20): “A iluminação espiritual... vem através de um completo silêncio do pensamento, vontade e desejo humanos.”

Pág. 21): “... em tal meditação, não estou pensando em ninguém, no problema de ninguém e nem em mim mesmo”.

Pág. 24): “... na presença da força espiritual não há os poderes do pecado, enfermidade, necessidade, acidente, infelicidade ou qualquer tipo de miséria humana.”

Pág. 31): “... a eliminação total de nossos problemas vem com a eliminação do nosso pequeno eu, essa individualidade separada de Deus, essa individualidade pessoal. Abandonando isso, alcançamos o estado de consciência de nosso verdadeiro Eu.”

Pág. 35): “A doença não pode ser eliminada da consciência humana, visto que esta crê em duas forças (o bem e o mal) — e deve sempre demonstrar sua crença.”

Pág. 37): “Enquanto estivermos orando para receber, estaremos obstruindo a força espiritual”.

Pág. 41): “Deus, a Verdade, não é para ser usado, e sim compreendido.”

Pág. 42): “Não resistais ao mal” – Mateus 5, 39.

Pág. 43): “O mal é um poder apenas enquanto um indivíduo aceita dois poderes.”

“Vamos iniciar com coisas simples, alguma coisa que não nos amedronte, que conduza gradualmente a questões mais sérias e possa provar... que não há poderes aqui fora.”

Pág. 44): “Quando tememos algo, estamos reconhecendo uma outra força que não a divina.”

“... quando cremos em duas forças, estaremos sempre procurando uma para socorrer a outra”.

Pág. 48): “Deus não está no furacão... Deus está na voz mansa e delicada.” (I Reis, 19:12)

Pág. 49): “Ela (a consciência do Cristo) está trancada debaixo de chave, e devemos abrir caminho para que possa fluir para nossa experiência.”

“... tenhamos o cuidado de não fazer do Cristo algum tipo de poder temporal para nos ajudar a adquirir coisas temporais.”

Pág. 56): “Assim que você tiver consciência do Espírito, você poderá fazer qualquer coisa que precise, porque você não a estará fazendo; será o Espírito da Verdade do qual você se tornou ciente”.

Pág. 65): “Um nível espiritual de alto grau nada tem a ver com a emoção.”

“... é um estado de consciência que não teme as pessoas nem as condições.”

Pág. 68): “A oração é um estado de receptividade.”

Pág. 69): “Deus é aqui e agora... quando a mente humana está silenciosa, há... percepção da identidade espiritual.”

Pág. 69/70): “... na meditação... estou apenas descansando do trabalho de pensar, e totalmente contente em deixar Deus governar o universo.”

“Deus não age no tempo e no espaço”.

Pág. 73): “O Cristo não é um homem; é o Espírito de Deus no homem”.

Eu irei adiante de ti; endireitarei os caminhos tortuosos, quebrarei as portas de bronze, e despedaçarei as trancas de ferro – Isaías, 45:2. “Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor” – Zacarias, 4:6.

Pág. 74): “A verdade é sua consciência da Verdade.”

Pág. 76): “Na medida em que você teme uma coisa, é escravizado por ela.”

Pág. 78): “Enquanto você conservar a crença em uma individualidade, uma presença e uma força... à parte de Deus, a substância dessa crença estará presente na forma de doença, necessidade, limitação ou pecado.”

Pág. 82): “Não há verdade que você conheça (apenas) com a mente que seja realmente verdade.” “... não tenha muita fé no que você ouve ou lê.... tenha fé verdadeira em sua capacidade de sentar-se calmamente e escutar. Faça silêncio”.

Pág. 83): “Não é uma preocupação mundana que o capacitará a auxiliar o mundo.”

Pág. 85): “A cura não vem, até que você tenha sido removido da crença de que o problema tem poder.”

Pág. 92): “Você é a imagem e semelhança de Deus apenas quando deixa de ter conceitos, quando deixa de ter opiniões ou crenças sobre este universo...”

Pág. 93): “Você é esse homem espiritual só quando tiver deixado de pensar em termos de bem e de mal. Ou seja, quando você for o próprio Deus em expressão.”

Pág. 99): “A Graça está dentro de cada um... e está esperando o reconhecimento.” “Não se dirija a Deus para (pedir) nada. Fique calmo (quieto) e deixe Deus revelar-se.”

Pág. 108): A regra de ouro – Mateus 7:12

Pág. 109): ”... o poder ainda está sendo atribuído ao pecado, enfermidade, morte, à necessidade e à limitação. Eles crêem que a doença é real e aceitam a premissa de que podem suplicar a Deus para afastá-la”.

Pág. 111): ”Você não pode realizar o trabalho de cura, se você acreditar que há entidades com as quais Deus tem que se bater, lutar ou dominar. Isso é estabelecer um poder separado de Deus.”

Pág. 112): ”... a maior parte dos místicos considera Deus como um grande Poder, combatendo com outros poderes ou os vencendo.” “... é preciso haver não só a consciência de que o eu (Eu Sou) é Deus, mas também que além desse Eu não há outros poderes...”

Pág. 114): ”Tudo o que você tem a fazer é dizer: EU SOU. E você encontrará EU SOU bem aí com você.”

Pág. 115): ”EU SOU aquele lugar onde Deus se torna manifesto como um eu individual.” “O erro não é um poder; o EU SOU é o único poder”.

Pág. 116): ”O mal é a crença universal de uma individualidade à parte de Deus... é o espírito carnal, a crença em dois poderes.”

Pág. 119): ”No nível material... há dois poderes, e um é usado para combater o outro. No nível mental, o poder do pensamento e raciocínio correto é usado para vencer o erro. Mas isso não é verdade no nível espiritual; nele, há apenas um poder.”

Pág. 120): ”Qualquer que seja o problema... não tem poder.” “Não haveria erros de qualquer natureza se não houvesse a crença universal em dois poderes, que age hipnoticamente em sua consciência.”

Pág. 122): ”Eu rejeito conscientemente a crença de que haja uma lei material ou mental, porque Deus é Espírito e Deus é a única lei... portanto, toda lei deve ser espiritual.” “Você deve escapar do domínio da crença universal em dois poderes, instalar-se na Graça de Deus...”

Pág. 123): ”As leis da matéria, pecado e doença agem apenas nos níveis físico e mental... quando você alcança um nível espiritual... você anula a crença de que há leis da matéria ou da mente.”

Pág. 124): ”Onde quer que você encontre os pares de opostos, o bem e o mal, você está tratando com a matéria ou a mente... ao elevar-se acima deles, você encontrará um nível de consciência em que não há bem e mal; apenas o ser espiritualmente puro...”

Pág. 126): ”Deus é sua verdadeira consciência e Ele conhece as intenções e propósitos do seu coração; ele conhece sua natureza mais secreta.”

Pág. 133): ”O Espírito dirige-nos para Ele mesmo — ainda que seja através da dor e do sofrimento (como José do Egito).

Pág. 135): ”... é preciso disponibilizar-se à ação da Luz Divina sem almejar objetivos nem recompensas.” “A vida espiritual baseia-se na compreensão de que EU E O PAI SOMOS UM”.

Pág. 137): ”Tem de haver uma pureza de motivos, e parte dessa pureza está na rendição de qualquer vontade pessoal.”

Pág. 138): ”Nada acontece senão como uma projeção da consciência”;

Pág. 141): ”O ministério do Cristo... foi também destinado a perdoar os pecadores, não depois de séculos de sofrimento sob a lei cármica, mas no exato momento de sua procura.”

Pág. 144): ”Nunca cometa o crime de acreditar que a dor... seja um obstáculo para a procura de Deus.... busque Deus primeiro, e você se encontrará livre.”

Pág. 146): ”Apenas uma coisa trará a paz: a compreensão da Graça Divina dentro de nós.”


Voltar