Casamento
Luiz Roque professor, poeta e escritor
A poesia abaixo está publicada em seu livro "Mar Tormentoso┬ö  


Após as bodas de prata,
a Pesquisa consultou-me,
já com certa reverência:
"Qual a sensação recíproca?"
Eu lhe respondi:"Paciência"

Ou o termo é inadequado?
Nossos ossos já se encaixam,
sabemos cada queixume,
trocado em hora prevista.
Não será isto um Costume?

Mesmo no atrito com os filhos,
há o prazer de estarmos juntos.
Será o velho amor fogoso
que,após a paixão primeira,
mantém-se, só de Teimoso?

Quando, então, você adoece,
sinto-me, em casa, canhestro.
Cada tarefa é um suplício.
Lembra-me o antigo cigarro:
Você não passa de um Vício.

Se, às vezes nos separamos,
ante mútua concordância
(que a autonomia está em voga!),
volto ansioso e dependente:
Você é mais que uma Droga.

Por isso, talvez, eu torne
sempre à gaiola da vida
e a tome por natural.
Você é um caso de apreensão
pra Polícia Federal.

Prosseguindo nessa meta
de alcançar a liberdade
que, por mim, não atingia,
dei um sorriso entredentes...
e atirei-me à Terapia.

Hoje, enfim, passados anos,
o equilíbrio que o analista
mostrava já não se vê.
E eu antecipo o regresso,
para ficar com você.

Voltar