O ELEFANTE

John Godfrey Saxe's (1816-1887) version of the famous Indian legend, "The Blind Men and the Elephant"

Tradução de J.C.Cavalcanti - abril/2005


 

THE ELEPHANT

I

It was six men of Indostan
To learning much inclined,
Who went to see the Elephant
(Though all of them were blind),
That each by observation
Might satisfy his mind.

Havia seis homens do Industão
Muito inclinados a aprender
Que foram conhecer o Elefante
(Apesar de serem todos cegos)
Pois cada um pela observação
Poderia sua mente satisfazer.

II

The First approached the Elephant,
And happening to fall
Against his broad and sturdy side,
At once began to bawl:
"God bless me! but the Elephant
Is very like a wall!"

O Primeiro se aproximou do Elefante
E acontecendo-lhe cair
contra seu lado, largo e duro,
de pronto começou a gritar:
"Deus me ajude!" pois o Elefante
é exatamente como um muro!

III

The Second, feeling of the tusk
Cried, "Ho! what have we here,
So very round and smooth and sharp?
To me `tis mighty clear
This wonder of an Elephant
Is very like a spear!"

O segundo, sentindo-lhe as presas
Gritou "Oh, o que temos aqui
tão arredondado, liso e pontudo?
Por mim posso dizer com confiança:
Esse mistério do elefante
é muito parecido com uma lança!"

IV

The Third approached the animal,
And happening to take
The squirming trunk within his hands,
Thus boldly up he spake: "I see," quoth he,
"the Elephant Is very like a snake!"

O Terceiro se aproximou do animal
E acontecendo de pegar
A torcida tromba do elefante com suas mãos
Assim ele disse, orgulhosamente:
"Eu acho que o Elefante
é muito parecido com uma serpente!"

V

The Fourth reached out an eager hand,
And felt about the knee:
"What most this wondrous beast is like
Is mighty plain," quoth he;
 "'Tis clear enough the Elephant
Is very like a tree!"

O quarto estendeu uma ansiosa mão
E apalpou pela altura do joelho
"O que este fantástico animal parece é muito simples
não pode haver descrença.
Está bastante claro que o Elefante
De uma árvore não tem diferença!"

VI

The Fif th, who chanced to touch the ear,
Said: "E'en the blindest man
Can tell what this resembles most;
Deny the fact who can,
This marvel of an Elephant
Is very like a fan!"

O Quinto, que por acaso tocou a orelha,
Disse: "Mesmo o mais cego dos homens
Pode dizer o que isto lembra principalmente
Não pode haver quem o negue:
Esta maravilha do Elefante
é exatamente como um leque!"

VII

The Sixth no sooner had begun
About the beast to grope,
Than, seizing on the swinging tail
That fell within his scope.
"I see," quoth he,
 "the Elephant Is very like a rope!"

O Sexto nem bem tinha começado
A tatear sobre o animal,
Pegando na cauda balouçante
Já percebeu pelo seu alvo.
"Eu sei", disse ele,
"o Elefante é exatamente como uma corda!"

VIII

And so these men of Indostan
Disputed loud and long,
Each in his own opinion
Exceeding stiff and strong,
Though each was partly in the right,
And all were in the wrong!

E assim esses homens do Industão
Disputaram ruidosa e longamente
Cada um fixado em sua própria opinião
excessiva, forte e teimosamente;
embora cada um estivesse parcialmente certo
Errados todos estavam, sem discussão!

IX

Moral: So oft in theologic wars,
The disputants, I ween,
Rail on in utter ignorance
Of what each other mean,
And prate about an Elephant
Not one of them has seen!

Moral:

Assim frequentemente nas guerras teológicas
Os disputantes, suponho eu,
caminham em total ignorância
Do que cada outro homem quer dizer
E tagarelam sem parar sobre um Elefante
Que nenhum deles pôde ver!

Voltar