Se tu queres conhecer-me
Luiz Roque é professor, poeta e escritor
A poesia abaixo está publicada em seu livro ┬ôVagas Luzes┬ö  

Se tu queres conhecer-me,
não me indagues o que faço;
que em vão te responderei
e com certa relutância.
Busca-me nas verdes árvores
que fizeram minha infância.

Não perguntes o que penso
ou como é que me comporto;
que pouco tenho a dizer-te,
olhos postos na distância.
Busca-me pelas estradas,
sobre o chão da minha infância.

Busca-me nos professores
de minhas primeiras letras.
No quarto, ao lado da planta
de inesquecível fragrância.
Nas águas, nos sóis, nas noites,
nos risos da minha infância.

Busca-me no meu cavalo,
nas amizades primeiras.
Nas lágrimas, sempre fáceis,
que verti, com abundância.
Na casa e nos velhos móveis.
Nas manhãs da minha infância.

Nas dúvidas iniciais,
no despertar dos desejos.
Nos amores que, pueris,
tinham-me alta relevância.
No ser que desabrochava
do seio da minha infância.

Não procures o que sou,
mas aquilo que eu e o mundo
fomos, um dia, abraçados,
à cósmica tolerância.
Oh, meu pai, oh, mãe, oh, irmão,
que fizestes minha infância!

Voltar   


Na foto o poeta, Luiz Roque, que, na infância, ia a cavalo para o Grupo Escolar.

Voltar